A Europa em Portugal

As eleições parlamentares europeias de 2019 realizar-se-ão em Portugal no dia 26 de maio e terão como fim a escolha dos 21 deputados portugueses com assento no Parlamento Europeu.

Em 1987 Portugal aderiu à Comunidade Económica Europeia (hoje União Europeia) e no mesmo ano elegeu pela primeira vez deputados ao Parlamento Europeu. Os deputados ao Parlamento Europeu (também conhecidos por eurodeputados) são eleitos no seu todo a cada cinco anos por sufrágio universal.

Serão as primeiras eleições europeias em que o Reino Unido não participa e o número total de eurodeputados será reduzido de 751 para 705, mas, apesar de alguns países aumentarem de número de deputados, Portugal manterá o número de deputados da anterior legislatura.

Antonio Costa e PS querem mudança de politica na Europa

A cerca de dois meses do início da campanha eleitoral para as eleições europeias, o PS apresenta o seu manifesto eleitoral que defende uma mudança de política na Europa. Na apresentação do manifesto eleitoral do PS, feita por António Costa, primeiro ministro de Portugal e secretário-geral do PS, defendeu uma política europeia expansionista, que “vire as costas à austeridade”.

Costa começou por dizer que “Provámos em Portugal que não era impossível termos contas certas com crescimento económico, maior crescimento do emprego, melhoria dos rendimentos. Se foi possível em Portugal, é possível à escala europeia”. A seguir, o primeiro ministro aproveitou para criticar a direita portuguesa por ter uma visão diferente do que deve ser o caminho da União Europeia. “Hoje gera-se um novo consenso, onde só a direita portuguesa se vai isolando, de que é efectivamente possível uma politica económica que vire as costas à austeridade e aposte numa politica virada para o crescimento, emprego e investimento que é prioritário fazer”.

Para o secretario geral do PS outra batalha è contra os anti-europeistas, Antonio Costa cita Emmanuel Macron :  “A Europa está sob um forte ataque e temos de nos mobilizar para defender a Europa, porque ela é a melhor forma de defender portugueses e os interesses dos portugueses. Não somos daqueles que acreditamos que sair nos faria andar para a frente, temos a certeza que sair seria andar para trás” e termina dizendo que “Para defender a Europa não basta cantar o hino da alegria, é preciso que a Europa mude”.

A presidência da União Europeia em 2021

No primeiro semestre de 2021, Portugal terá a seu cargo a presidência da União Europeia e ja escolheu a sua prioridade absoluta: Africa.

Sobre este assunto o Antonio Costa afirmou “Temos de fazer um pacto de solidariedade para o desenvolvimento sustentável. Europa e África têm laços históricos muito antigos e esses têm de ser aproveitados para o desenvolvimento comum », o primeiro ministro português continuo dizendo que “O grande desafio deste século é resgatar África da pobreza, dos conflitos armados, da violação de direitos humanos. É essa visão que temos de ter e para a qual queremos contribuir”.

Natacha DA ROCHA